As 5 Condições para a Oração Diária / `Amidá (Judaísmo em 5 Minutos)

0
2146

Texto do Vídeo

O tema de hoje é a oração diária, que chamamos no Judaísmo de `Amidá. Essa oração foi instituída nos tempos bíblicos por Esdras, para servir de lembrete e substituir provisoriamente os sacrifícios diários no Templo. Como diz o profeta Oséias: “Ofereceremos como novilhos os sacrifícios dos nossos lábios.” (Os. 14:2)

Neste episódio, vamos entender as cinco condições essenciais que precisamos ter para fazer essa oração.

Idéia Essencial

Mas antes disso, é importante entender uma ideia essencial: Nós nos dirigimos ao Eterno em oração de forma a simbolizar que estamos entrando no palácio de um grande rei, e apresentando a Ele nossos pedidos. Se você não entra na presença de um rei humano de qualquer jeito, ou como bem entender, quanto mais na presença do Rei do Universo.

1) Intenção

A primeira coisa que anula a validade da oração é a intenção. Oração não é mantra. Não se deve correr com a leitura, nem tampouco ler como se estivesse cumprindo uma obrigação. Evite orações mecânicas.

2) Sem Distrações

A segunda é semelhante à primeira: Pessoas em circunstâncias adversas, como por exemplo estar com muita fome ou apertado, o ideal é primeiro se aliviar e depois rezar.

Se está em situação de grande tensão ou ansiedade, como por exemplo um noivo em noite de núpcias, ou em situação de luto recente de uma pessoa próxima, a pessoa é isenta de rezar, mas pode caso consiga se concentrar.

Caso não consiga se concentrar, é proibido rezar, para não desrespeitar o Nome do Eterno.

Evidentemente, não devemos rezar estando embriagados, ou em meio a brigas, piadas ou irreverência. Nesses casos, deve-se aguardar até que se esteja em condições tranquilas para poder rezar.

3) Mãos Puras

A terceira coisa é a pureza das mãos. Suas mãos a todo momento estão em contato com coisas sujas. Pegamos em dinheiro, em corrimão de ônibus, entre outros. Você não se apresentaria diante de uma pessoa sem estar com as mãos limpas.

Quem tem água à disposição, deve realizar o pequeno rito da lavagem das mãos. No nosso site, você encontra explicações sobre ele.

Quem não tem água à disposição deve limpar as mãos com papel, pedra, ou algum tecido, para simbolizar o desejo de se aproximar do Eterno com mãos limpas.

4) Cobrir a Nudez

A quarta coisa que pode anular a validade da oração diária é a nudez. Tanto o homem quanto a mulher que ora devem estar com as partes íntimas cobertas, para se aproximar perante o Criador.

Isso não quer dizer que as partes íntimas sejam imundas, nem que o sexo seja algo pecaminoso. É apenas uma questão de respeito, já que você entrará na presença do Rei do Universo.

Você não entraria na presença de um dignatário ou autoridade com as partes íntimas expostas. O ideal é vestir-se como quem está na presença de um dignatário. Mas, o mínimo para que a oração seja válida é cobrir as partes íntimas.

O momento da oração deve ser um momento tranquilo, e relaxante. Por isso, é ideal que se esteja num lugar apropriado.

5) Lugar Adequado

Portanto, a quinta coisa é o lugar. A oração diária é uma lembraça do Templo de Jerusalém. Não é adequado que seja feita em banheiros, vestiários, ou em lugar onde há impureza ou que seja um local onde as pessoas geralmente estão nuas.

Da mesma forma, deve-se evitar lugares onde haja um monte de lixo, ou outras coisas que causem odor desagradável e desconforto.

Fontes

  • Tanakh: Hoshea`/Oséias 14:2
  • Mishnê Torá – Sefer Ahabá – Hilkhot Tefilá capítulos 1 e 4